Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Culinária (dedicada particularmente a todos os encornados)

Polvo na Frigideira

Ingredientes: 
 
  • 300 g de polvo
  • 1 1/2 litro de água
  • 1 copo de vinho branco
  • 1 cebola média picada
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • 4 fatias de bacon
  • 1 limão espremido
  • sal e salsa a gosto
Preparação:
Coloque o polvo na água com sal, vinho branco e cebola e cozinhe por aproximadamente 30 minutos em fogo baixo, até levantar fervura. Quando o polvo estiver macio, escorra a água, coloque o polvo na frigideira por 5 minutos e refogue com manteiga, limão e bacon. Na hora de servir, acrescente a salsa.
 

Pepa, mais uma marioneta encornada



Vejam mesmo no final o olhar cúmplice, diria até amoroso, entre Vitória e Pepa

Datas com História: 19 de Fevereiro de 1985 - A tragédia do Monte Oiz


 


 


Rui Vitória: deve ser este lance do jogo com o Boavista que o indigna


Ou este com o Setúbal ...



No colinho = muito medinho

 “Pela primeira vez na história do futebol português - e provavelmente do futebol mundial - um clube pede uma reunião com os dirigentes da arbitragem não estando a ser prejudicado. Em quase todos os jogos têm ficado penáltis por marcar na área do Benfica, a que se juntam agressões claras que não são punidas com o cartão vermelho. Na verdade, fazer um pedido de reunião a uma sexta-feira e publicitá-lo não é mais do que uma triste tentativa de coagir a arbitragem do jogo de amanhã em Braga. E por que faz isto o Benfica? Porque está com medo, porque sabe que o FC Porto está forte e porque tem consciência de que ao nosso clube foram subtraídos muitos pontos na classificação devido a decisões erradas de alguns árbitros, de resto como afirmam todos os especialistas minimamente independentes.”  MAIS NADA!

Existem histórias do caraças

Lembram-se de Maria José Morgado? A super mulher que liderava a equipa especial no processo apito dourado, aquela que semanalmente deixava sair escutas e outras fugas de informação quase sempre para a mesma jornalista? Pois é...a "jornalista" chama-se Tânia Laranjo a mesma que ontem fez aquelas figurinhas com o nosso presidente!
Sabiam que a Maria José Morgado era casada com um senhor chamado Saldanha Sanches (entretanto já falecido), um conhecido fiscalista e braço direito dos negócios de Luis Filipe Vieira? Sabiam também que além de ser muito amiga de Maria José Morgado, Tânia Laranjo era casada (acho que já não é) com Eugénio Querós, um "jornaleiro" do Record que a par da sua grande amiga Leonor Pinhão escreveram o livro Corrupção? E para acabar a história, sabem com quem Leonor Pinhão é casada? Exactamente, com o autor do filme Corrupção, o senhor realizador João Botelho!
Serve este texto para mostrar aos mais novos e aos mais desatentos, que qualquer um no lugar do nosso presidente, tinha partido a boca aquela "jornaleira"!
Existem histórias do caraças!
Retirado de: O Calcanhar de Vienna

Aos porcos encornados: só para relembrar...


Viana do Castelo vista dos céus

Tondela queixa-se? Devem ter-se esquecido do jogo da primeira volta

Missão cumprida pelo FC Porto, com várias sensações ao longo dos 90 minutos e momentos carregados de polémica porque os jogadores do Tondela pensaram que podiam fazer a pouca vergonha que haviam feito no jogo da primeira volta. Faltas agressivas logo a entrar e simulações grosseiras. O FC Porto sentiu algumas dificuldades até ao 1-0, mas depois foram só facilidades absurdas e golos escandalosamente desperdiçados em superioridade numérica ao longo de todo o segundo tempo.

Como se pode observar, "foi o árbitro" que marcou este golo magnífico.


Na primeira volta (e nem vou falar no jogo agressivo e não assinalado - acabavam com 8) o Tondela também foi "prejudicado"



Káká derruba André Silva, árbitro Hugo Miguel manda seguir


Aos 17 minutos, André Silva cai na área e fica a pedir penalty por falta de Kaká. Poucas dívidas neste lance: Há mesmo penalty…O marcador Tondela-FC Porto continua em branco Káká derruba André Silva, árbitro Hugo Miguel manda seguir 
E já agora, porque motivo o Tondela aqui comeu e calou?

Curral das Freiras - vista aérea

Os obstáculos que se colocam ao FC Porto


O que é a Ordem de Malta?

A Ordem Soberana e Militar de Malta é uma das mais antigas instituições da Igreja Católica. Fundada como ordem religiosa no século XI para prestar assistência aos peregrinos que iam para Jerusalém, rapidamente se transformou numa ordem militar de cavaleiros, dedicados a proteger a Terra Santa.
 
Uma celebração com membros da Ordem de Malta. Jack Taylor/Getty Images
 
Hoje em dia, preserva apenas a sua tradição militar, e os seus mais de 13 mil membros dedicam-se ao apoio aos mais pobres em todo o mundo. Tal como o nome indica, a instituição é uma entidade soberana à luz do direito internacional, mesmo não tendo um território. Além disso, mantém relações diplomáticas com dezenas de países do mundo, incluindo Portugal e o próprio Vaticano, e pode emitir documentos oficiais, como passaportes.
Depois de, em 1798, ter perdido a ilha de Malta, que lhe dá nome, a ordem está agora sediada em Roma e é governada pelo Grão-Mestre e pelo Conselho Soberano, um conjunto de altos oficiais da instituição que servem funções de ministros. A ordem tem mesmo uma Constituição própria, que lhe garante soberania e permite a intervenção do Papa na governação em casos muito excecionais, uma vez que a ordem depende da Santa Sé.
O caráter soberano da Ordem de Malta, aliás, é um dos pontos fundamentais da actual polémica com o Papa, uma vez que foi o argumento utilizado por Matthew Festing, o antigo Grão-Mestre da ordem, para tentar impedir o Papa Francisco de investigar um caso de afastamento de um dos principais responsáveis da instituição, no ano passado. Com Matthew Festing afastado por Francisco, a ordem é agora governada por um Grão-Mestre interino, Ludwig Hoffmann von Rumerstein, que deverá ocupar o lugar até à eleição do novo responsável.

A mentira é apenas o ar que a geringonça respira

Não há quaisquer motivos para nos surpreendermos com as mentiras que agora vieram a lume e foram comprovadas. A mentira está na essência e na génese da geringonça. Ora vejamos uma curta síntese:

1. Costa, mentiu durante meses enquanto fingia ser presidente da CML mas se concentrava a 100% na campanha interna e externa do PS.
2. Costa mentiu durante anos, enquanto participava na Quadratura do Círculo como “comentador” e era apenas um homem interessado na promoção da sua agenda e do seu grupo que o poderia levar ao poder.
3. Costa mentiu dentro do PS enquanto “entalava” Seguro afirmando o “poucochinho” da liderança de Seguro, preparando a sua ascensão e usurpação do poder no PS.

4. Costa mentiu durante a campanha eleitoral, ocultando os acordos que os jovens turcos íam preparando nas costas dos eleitores sobre a possibilidade de um arranjo parlamentar pós-perda de eleições.
5. O BE e o PC mentiram, ocultando também o acordo. Mentiram quando fizeram parecer possível assumir uma solução de apoio governativo respeitando Tratado Orçamental e compromissos europeus, quando são todo o seu contrário, exigindo negociação da dívida e saída do Euro.
6. Centeno mentiu quando academicamente defendeu os riscos do aumento do salário mínimo e quando governante implementa aumentos acima da produtividade.

E a lista é longa. Um governo baseado na mentira só se pode sustentar na mentira, prosseguir na mentira e acabar na mentira. Não há castelo de cartas mais instável do que o construído com mentiras.
“Sorte” ou génio, de Costa e geringonça? Apenas uma: os media, que são amorfas máquinas de repetição e proliferação de mentira para apaziguar o povo e permitir o parasitismo do Estado abusador.
Mentiras, mentiras e mais mentiras. Surpreendem-se os ingénuos ou distraídos.

Porto d'outrus tempus

Precioso! O Porto em 1914

Há por aí aviadores ingleses?

Gordon Kayne

Sim, o Porto.

O Porto voltou a ser “Europe’s Best Destinations 2017“. Tive o cuidado de escrever “o Porto” e não “a cidade do Porto” porque no Porto e neste prémio entra Gaia (pelas Caves, pela Serra do Pilar, pelas vistas fabulosas para a Ribeira do Porto e pela Afurada), Matosinhos (por Matosinhos Sul, pelos seus restaurantes onde se come o melhor peixe e marisco), por Braga e Guimarães sem esquecer o Douro Vinhateiro para onde se deslocam muitos dos turistas que visitam a cidade do Porto aproveitando para conhecer um pouco mais o Norte de Portugal.
Seria o mesmo que ganhar Palma de Maiorca, a que carinhosamente chamo de “Rochedo” e não sublinhar que seria pela cidade mas também pela Tramuntana, pelas praias de Cala D’Or, pelo Parque Natural de Mondragó, por Artá ou Es Trenc. O Porto é mais do que as fronteiras administrativas da cidade. Assim como Palma.
A pergunta que alguns fazem é “Mas porquê o Porto?”. Não é a cidade portuguesa mais visitada, essa é Lisboa. Nem é um destino de sol e praia como o Algarve. Pois não. Porém, é (era) um dos segredos mais bem guardados da Europa. E quanto mais conheço a Europa, mesmo sendo ainda pouco, muito pouco, menos me espanta que o Porto seja eleito por internautas de mais de 170 países – mesmo sabendo, tenhamos todos noção, que as campanhas internas de apelo ao voto certamente ajudaram muito a este resultado, sobretudo desta vez. E já agora, se me permitem um pequeno desvio, os parabéns a quem desenvolveu a referida campanha pois estava muito bem feita.
Não me espanta porque o Porto é um destino seguro, com um património muito interessante, com características únicas (ou, pelo menos, raras), cada vez mais cuidado em termos de limpeza e qualidade de informação ao turista, com serviços na quantidade necessária e com uma gastronomia fantástica, tudo devidamente condimentado com preços bastante interessantes para as carteiras dos ocidentais. Sem esquecer a Ryanair e outras companhias aéreas que nos trazem turistas em barda. Reparem nas cidades concorrentes: Milão, Gdansk, Atenas, San Sebastian, Sozopol, Viena, Stari Grad, Basileia e Madrid. Com a excepção de Gdansk, Sozopol e Stari Grad, todas as outras são mais caras que o Porto. E as outras três, não o sendo, não conseguem concorrer em património, serviço ao turista ou qualidade hoteleira. O Porto reúne na quantidade certa para uma visita turística de 3 a 4 dias interesses cada vez mais valorizados pelos turistas ocidentais: gastronomia e vinhos, património e paisagem, experiências únicas, facilidade de comunicação, simpatia das gentes (saber receber) e segurança. Necessita de investir mais em eventos e programação cultural, sobretudo em animação do espaço público (mas está muito melhor). Necessita de recuperar ainda mais o seu património urbanístico e de rapidamente requalificar a zona de Campanhã/Oriental. Lá chegará, estou certo. Sobretudo se quiser continuar a ser um destino forte. E o Mercado do Bolhão!!!
Além disso, o Porto pode e deve ser “usado” como plataforma de distribuição turística para outros destinos próximos como o Douro Vinhateiro, Braga e Guimarães, o Gerês, o Alto Minho e mais a sul Aveiro ou Viseu sem esquecer o chamado “eixo-religioso”: Fátima-Braga-Santiago. Para isso é necessário que cada uma das partes faça o seu trabalho e não fique sentada à espera que seja o Porto a fazer tudo, que olhem como complemento para um turista que já escolhe o Porto mas que pode prolongar a sua estadia fazendo do Porto o “centro distribuidor”. E em vez de ficar 3 dias prolongue a estadia para uma semana. Ficam todos a ganhar até porque o Porto não pode esquecer um factor essencial: aos poucos vai perdendo o interesse pois o “já lá fomos” vai começar a surgir de cada vez que um turista entra no site da Ryanair para escolher o seu próximo destino.
A melhor forma de celebrar estes anos de êxito é começar já a preparar os próximos. Até porque o Porto está mais bonito assim, com turistas, renascido, bem vivo. Carago! [Fernando Moreira de Sá, aqui]

Porque hoje é dia dos namorados: do Porto com Amor


O CHAMADO "EPM" Ou por extenso, "erro de percepção mútuo". Como diz o meu filho, TAB, i.e. tanga, aldrabice, balela. A canseira que se tem para evitar a palavra mentira, ou mentiroso

Sobre Centeno nada mais há a dizer e a avaliação está feita. Vir afirmar que houve conversas informais, mas não acordo, e que tudo não passou de um mal-entendido, corresponde à velha desculpa esfarrapada de quem não honra a palavra dada, quando António Costa gosta tanto de dizer que ela tem que ser honrada. Querer fazer as pessoas acreditarem que não havia acordo, quando até se colocou um escritório de advogados a redigir leis à medida do presidente da Caixa, que pelos vistos foram depois assinadas e promulgadas de cruz pelos órgãos de Estado, é chamar parvos aos portugueses. Mas a personagem vai se manter no cargo, em homenagem ao "estrito interesse nacional", que determina a abolição de qualquer responsabilidade política. Noutros países há outra concepção do "estrito interesse nacional" que implica não deixar degradar as instituições. Mas aqui, tudo como dantes, quartel-general em Abrantes.

O que é novo, no entanto, nisto tudo é o comunicado de Marcelo, que dá a entender que o Ministro das Finanças se mantém no cargo por decisão sua. Será que Marcelo não conhece o art. 191º da Constituição que diz claramente que não há responsabilidade política dos Ministros perante o Presidente da República? Como se já tinha visto no caso da Cornucópia, Marcelo parece querer assumir-se como chefe do governo, ouvindo explicações dos Ministros, dando-lhes ordens e até os podendo demitir, enquanto que o Primeiro-Ministro assiste a isto tudo sem um protesto, assumindo perante o presidente a posição mais subserviente que alguma vez teve um Primeiro-Ministro de um governo constitucional. Nem nos governos de iniciativa presidencial de Ramalho Eanes se assistiu a algo semelhante.

O que nunca pensei é que em Portugal o sistema político também pudesse ficar ameaçado por estas sucessivas investidas de Marcelo, a querer assumir competências que manifestamente não tem. Mas o que isto demonstra claramente é a fragilidade política de António Costa. Estando o seu apoio parlamentar em colapso, António Costa precisa do braço do presidente para se manter no arame, pelo que o deixa ingerir-se nas suas próprias competências. Só que em política nem tudo vale a pena, e António Costa deveria pensar se o seu apego ao poder justifica permitir tanta menorização do seu próprio cargo. [daqui]

40º aniversário

14 de Fevereiro de 1977
14 de Fevereiro de 2017

Sempre a trabalhar no sector bancário!

Dia dos namorados


Anthony Bourdain veio descobrir o charme do Porto

Conhecido pelo prazer da descoberta gastronómica por todo o mundo, o chef está este fim-de-semana na cidade a gravar um episódio do programa "Parts Unknown".
O novo programa da CNN deverá estrear no final do ano. Foto: Facebook Oficial/D.R.

É já a terceira viagem gastronómica do chef e apresentador Anthony Bourdain à Invicta. Desta vez, o destino foi escolhido para gravar um episódio do programa "Parts Unknown", da CNN, onde vão figurar as famosas tripas à moda do Porto e a lampreia.

Durante este fim-de-semana, o chef norte-americano aproveitou para visitar A Cozinha do Martinho, restaurante de comida tradicional portuguesa onde ficou a conhecer um prato característico: as tripas. O célebre prato portista vai figurar no novo programa, que deverá estrear no final do ano, ao lado da lampreia. 

Bourdain aproveitou o domingo para ir até Lordelo do Ouro, zona de pescadores, local escolhido para filmar mais uma aventura sensorial à boleia do peixe do rio que divide paladares - ou se adora, ou se detesta. 

O chef, que já gravou "A Cook's Tour" na cidade e "Sem Reservas" em Lisboa, regressa, assim, a Portugal para tentar perceber o charme do Porto e da gastronomia tradicional que por ali se encontra. A Invicta vai integrar o sétimo episódio de "Parts Unknown", o último programa de Anthony Bourdain que deverá estrear perto do final de 2017. [daqui]

Trabalhos manuais

A ocupação da Europa pela corja islâmica

O pior presidente de sempre

Como é possível termos um PR tão estúpido e tão ignorante, e ele continuar a insistir, e a fazer questão, de o demonstrar, de forma tão brutal e publicamente?????
Então agora estamos a pagar o dobro do que pagávamos em 2015, com o anterior governo, em todos os prazos, e já estamos a pagar mais do dobro do que pagam Espanhóis e Italianos, quando também em 2015 estávamos a pagar tanto como estes países, e tenta fazer de todos nós uma cambada de parvos, dizendo ao povo que é uma boa estratégia, e que está tudo a correr muito bem?
Já não tenho mais paciência, para aturar tanta estupidez e tanto bandalho.

Portal norte-americano diz que portuenses estão entre as dez razão pelas quais o Porto é o melhor destino

"Pergunta-se por que razão o Porto acaba de ganhar o prémio de Melhor Destino Europeu 2017? Aqui estão 10 razões". Começa assim o artigo do The Huffington Post, o agregador de blogues norte-americano criado por Arianna Huffington e Kenneth Lerer. O site, que regista milhões de visitas diárias assinala desta forma a eleição da cidade Invicta como Melhor Destino.

À cabeça das dicas dadas pela blogger Sandra Henriques Gajjar, do www.tripper.pt, começam pela francesinha, passam pelo vinho, pela Livraria Lello, Café Majestic, Estação de São Bento, pelo Fantasporto, pelo NOS Primavera Sound, pelo pôr-do-sol na Ribeira, pelo Centro Histórico e pela Casa da Música. Mas termina com o factor mais importante, as pessoas.

"Here's a reason why most of the people who voted Porto as the European best destination 2017 were foreigners (56.8%). In my first trip to the city, I felt home instantly, which is a very good but also strange sensation. How can an outsider feel at home in a city they've never been to? Mainly because people will treat you like a foreigner, but never as an outsider."

"Aqui está uma razão pela qual a maioria das pessoas que votaram Porto como o melhor destino europeu 2017 eram estrangeiros (56,8%). Na minha primeira viagem à cidade, senti-me em casa instantaneamente, o que é uma sensação muito boa, mas também estranha. Como um estrangeiro pode se sentir em casa numa cidade a que nunca foi? Principalmente porque as pessoas vão tratá-lo como um estrangeiro, mas nunca como um estranho".

O Porto foi eleito sexta-feira como Melhor Destino Europeu, batendo todos os recordes de votação registados pelo prestigiado prémio internacional em anos anteriores, depois de ter lançado uma campanha nacional e internacional que provocou mais de 130 mil votos, mais de metade dos quais registados fora de Portugal. [daqui]