Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

A famosa bôla de Lamego já se serve no Porto

A Casa das Bôlas tem mais de 50 anos e é a nova pastelaria da cidade


É difícil não reparar na máquina registadora de volumosos botões e manivela que está respeitosamente exposta à entrada da Casa das Bôlas. O aspecto imaculado e conservado não deixa transparecer a história e as “milhares de bôlas” que ali foram registadas por Álvaro Guedes Pereira, o pasteleiro que fundou esta casa em 1966. No ano em que se celebram os 50 anos de vida da mais famosa bôla de Lamego, a Casa viaja pela primeira vez até ao Porto, para servir a especialidade aos portuenses.

Anabela é a filha e representante da segunda geração que comanda, juntamente com as duas irmãs, a versão moderna da Casa das Bôlas. Há meio século, havia apenas uma pastelaria em Lamego, a Pastelaria da Lila, onde Álvaro trabalhava. O negócio por conta própria não tardou e o então jovem pasteleiro começou a trabalhar na receita que ainda hoje é respeitada ao milímetro. Foi numa pequena loja, atrás da Sé de Lamego que nasceu, fruto de muitas viagens pelas aldeias, a recolher a matéria prima para o recheio das bôlas.

“Foi muito graças a esses produtos genuínos que a bôla ficou famosa. Hoje, usamos a mesma receita mas temos que usar a matéria prima que está disponível. Já não andámos a recolher presuntos nas casas dos particulares”, conta Anabela Pereira.

Já com dois espaços em Lamego, a chegada da Casa das Bôlas ao Porto foi fruto de um acaso. Descobriram o espaço em Junho e decidiram que não o podiam perder. Fizeram o contrato e colocaram uma tarja com o nome da casa no próprio dia. Só viria a abrir seis meses depois.

Nas montras é possível encontrar as receitas tradicionais que Álvaro Pereira lançou na casa de Lamego, como a de presunto e salpicão ou a de carne de porco em vinha de alhos. Os tempos mudam e “os palatos também”, explica Anabela. Foi necessário apostar noutros recheios e combinações: frango, sardinha, bacalhau e até uma versão vegetariana.

As bôlas são preparadas em Lamego e transportadas diariamente até à nova loja, onde saem do forno, frescas e quentes, várias vezes ao dia. Pode comprá-las inteiras, meias ou à fatia, com preços que vão dos 5,5€ aos 15€.

A mãe de Anabela também teve um dedo importante na história da casa: “Ao longo dos anos, ela foi recolhendo várias receitas conventuais perdidas, através clientes que eram doceiras e senhoras que tinham uma paixão pela culinária.” Toda essa doçaria está à venda nas montras da Casa das Bôlas, dos peixinhos de chila aos barquinhos de Santa Clara. Não faltam também os biscoitos de romaria como os areados, os torcidinhos e os exclusivos alvarinhos.

O local é privilegiado e Anabela sabe-o bem. A loja partilha a esquina entre a Avenida da Boavista e a rotunda, lado a lado com a Casa da Música. Mas ao contrário do edifício vizinho, a decoração é caseira e tradicional. Basta olhar para a peça central, uma velhinha masseira de madeira trazida de um antiquário, já que as de Lamego tinham “o triplo do tamanho” e “dificilmente caberiam no espaço”.

Para fugir às “linhas demasiado direitas e modernas”, optou-se por um aspecto sóbrio, um padrão vintage de mosaicos hidráulicos no chão e peças rústicas.

“Queremos que seja um espaço acolhedor e caseiro, bem português. E como por aqui também há muitos turistas, queremos que aqui encontrem e levem consigo um bocadinho do nosso País.” E bôlas, não se esqueçam das bôlas, até porque estamos a falar da mais famosa de Portugal.

Efeitos de um governo democraticamente ilegítimo


Espelho meu, espelho meu ...


Vertiginosas Fisgas do Ermelo!

Inconcebível branqueamento da TSF

Acabo de ouvir na TSF, no final do jogo do FC Porto contra o Moreiranse, o comentador de serviço, face a uma falta, A UMA FALTA! no meio campo, em que, segundo eles, o proveta Veríssimo, um árbitro forjado pela fundação boifica, deveria, na 2ª parte ter marcado uma falta contra o Porto e mostrado amarelo a Filipe, que equivaleria a 2º amarelo e expulsão. Com isto, diz o "paineleiro", que assim se mostra que os três grandes não podem ter razão de queixas das arbitragens!!!! E assim se limpa a vergonha que até agora assistimos! A TSF é merda!

As contas do futebol

boifica tem a segunda maior dívida da Europa, segundo a UEFA, e o FC Porto o terceiro com mais receitas


Anexa-se Quadro-Resumo comparativo das contas consolidadas das três principais Sociedades Anónimas Desportivas (SAD) em Portugal, respeitantes às épocas 2015/2016 e 2014/2015 (em milhares de euros), juntamente com algumas observações pertinentes. 

(vide ficheiro PDF em partilha) LEITURA OBRIGATÓRIA

Os sítios das internet da SL Benfica Futebol SAD, Sporting CP Futebol SAD e FC Porto Futebol SAD disponibilizam os seus relatórios e contas (R&C), completos e com as respectivas certificações legais das contas consolidadas. Recomenda-se a sua consulta.



Disclaimer:

Não obstante o esforço pessoal na produção de um trabalho objectivo, cumpre informar que sou adepto sportinguista. Se, porventura, algum leitor considerar que alguma parte da análise está ferida de subjectividade clubística, tem natural direito em pronunciar-se, apesar de considerar, à partida, não haver razão para tal.

Quando aos números em si, DESTACAM-SE cinco situações para mim relevantes:

1. Esta análise abrange as SAD e não os respectivos clubes, accionistas maioritários destas SAD. Considerando a abundância de saldos e operações existentes entre o grupo de cada SAD e as entidades fora desse grupo (incluindo o clube), convinha conhecer as contas consolidadas dos clubes, mas infelizmente estas não são publicitadas. Conforme já referido noutro artigo deste blog [link], os clubes são entidades colectivas de utilidade pública (?), logo não são obrigadas a prestar contas publicamente, nem a disponibilizá-las nos seus sites institucionais. E não são os únicos no “mundo do futebol” a (não) fazê-lo, conforme refiro no mencionado artigo. Sem essa informação publicamente disponível e no formato apresentado pelos seus autores (os clubes), vergamos a nossa percepção da coisa à informação veiculada pelos jornais desportivos e comentadores da bola, que são tudo… menos isentos. Mas, pensando bem, é mesmo essa a intenção, ou não?  
2. O facto mais evidente, em termos económicos, é talvez o mais publicitado e provavelmente do conhecimento geral. Todas as SAD possuem uma situação patrimonial líquida débil e enquadrada no art.º 35.º do Código das Sociedades Comerciais (em que mais de metade do capital social está perdido), sem que os respectivos R&C evidenciem medidas objectivas e concretas quanto à resolução da situação. Ressalve-se que a gravidade da situação varia de SAD para SAD. Tal constatação e a ligeireza com que se aborda o tema no espaço mediático relega-nos para a infeliz constatação de que estas entidades do futebol pertencem a uma categoria semelhante aos bancos, ainda que por motivos diferentes (de vertente mais psicológica que económica), sendo consideradas pelo público em geral como “demasiado importantes para cair”, até ao dia… em que cair a primeira.
3. Outro facto evidente, mas cujo grau pode ser encarado de várias perspectivas diferentes e estar sujeito às tais parcialidades clubísticas na sua análise, prende-se com a situação financeira. Salvo melhor opinião, a Sporting CP Futebol SAD apresenta a situação mais aliviada no curto prazo, fruto da recente renegociação efectuada com os bancos (por todo o Grupo Sporting), apesar de se tratar de uma estabilidade a prazo determinado (10 anos). Neste aspecto, a SL Benfica Futebol SAD e a FC Porto Futebol SAD carecem de idêntica reestruturação da dívida… se se quiserem aguentar nas próximas épocas. Esta última SAD terá talvez a maior dificuldade em concretizar esse passo, atendendo à respectiva situação económica e ao enorme défice operacional que perspectiva (novamente) para a época em curso e, eventualmente, para as subsequentes. Trata-se de uma questão de fôlego financeiro, para colocar a casa em ordem e (sugiro eu) adaptá-la à dimensão do futebol nacional, sem negligenciar a participação nas competições europeias.
4. As pesadas estruturas de gastos das SAD, grosso modo, fazem com que o sinal positivo ou negativo do resultado de cada exercício dependa, principalmente, das mais valias das vendas de direitos desportivos de atletas (ativos intangíveis) e da participação na Liga dos Campeões (pelas receitas diretas e indiretas que gera). A principal componente dos encargos de cada SAD respeita aos gastos com o pessoal (diretos e indiretos, designadamente as amortizações dos direitos desportivos dos atletas), sendo que neste aspeto a FC Porto Futebol SAD surge em primeiro lugar com 107,3 M€ de gastos, a SL Benfica Futebol SAD surge em segundo lugar com 98,2 M€ de gastos e, finalmente, a Sporting CP Futebol SAD com 58,2 M€ de gastos. Poderá colocar-se em causa a razoabilidade dos maiores valores, dentro do contexto do futebol português (ou não)?

5. Não querendo explorar muitos dos aspectos concretos focados nos comentários ao quadro comparativo partilhado no ficheiro acima, finalizo este resumo com um destaque àquele que considero ser, porventura, o dado mais curioso da análise, atendendo à grande incerteza no futuro desportivo (e consequentemente económico-financeiro) destas SAD – o plantel de atletas profissionais. No final da época de 2015/2016, a SL Benfica Futebol SAD possuía um plantel profissional com 80 jogadores valorizados, no valor líquido de 115,2 M€, e 33 jogadores não valorizados (oriundos da formação, provavelmente). A FC Porto Futebol SAD possuía um plantel profissional com 69 jogadores valorizados, no valor líquido de 90,6 M€, e 16 jogadores não valorizados (oriundos da formação, provavelmente). Na mesma data, a Sporting CP Futebol SAD possuía um plantel profissional com 40 jogadores valorizados, no valor líquido de 32 M€, e 58 jogadores não valorizados (oriundos da formação, provavelmente). Isto sim pode dar origem a interpretações pessoais, logo não dou a minha, não obstante considerar que está aqui um indicador relevante acerca das perspetivas futuras de cada SAD. Porque esta é a "mina" de cada SAD.

Torres Novas é uma terra estranha, não?


Segunda frase desportiva do ano

E eis que, à 17ª jornada, os porcos encornados também se queixam da arbitragem. Isto é o equivalente a chegarmos à loja do cidadão ao meio dia e vermos que temos a senha 892. Ponham-se na fila.

Diogo Feio: "Os árbitros não têm defesa possível"

Diogo Feio, deputado do CDS-PP e adepto do F. C. Porto

O local que escolheu para a foto é uma provocação?
Não, é um sítio que eu pressuponho que é de todos, dos diferentes clubes. Se alguém o entende como uma provocação, é porque pensa que é exclusivo de algum clube. A meu ver, provocatório seria tirar a fotografia no Estádio da Luz.


Mantém a esperança de ir a esse mesmo local, com o cachecol do F. C. Porto, festejar o título desta época?
Com certeza. A equipa tem voltado a uma fase em que tem dificuldade em marcar, mas o caudal ofensivo está lá, a ideia de jogo parece-me evidente e não vejo que seja impossível para o F. C. Porto não perder pontos ou perder poucos até ao final. Se assim for, não tenho dúvidas de que vou festejar o título.

Falta a esta equipa um bocadinho do "desplante" de quem escolhe um local associado ao rival para ser fotografado?
Falta fundamentalmente marcar golos. Porque quando a defesa é boa, o meio-campo funciona e põe as bolas disponíveis para finalizar, mas elas acabam por não entrar, falta sobretudo marcar golos - por muito que haja grandes exibições dos guarda-redes adversários e péssimas dos árbitros. Portanto, sim, posso aceitar que falta desplante em frente à baliza.

Se tivesse de recorrer a uma medida drástica para resolver o problema da finalização, o que faria?
Para o F. C. Porto voltar a ganhar, não é preciso algo de muito drástico. É preciso que os avançados que lá estão tenham mais eficácia, o que também se consegue com concorrência. Naturalmente que isso pode ser conseguido através de um reforço, mas isso o treinador saberá melhor que ninguém e eu tenho muita confiança nele. Se calhar a única medida drástica a tomar era mesmo não haver erros de arbitragem que, meses depois, vêm a ser assumidos - como um relatório do Conselho de Arbitragem que assume erros que eliminaram o F. C. Porto da Taça de Portugal.

Sendo advogado, quem seria mais fácil defender: o F. C. Porto, que está a seis pontos da liderança do campeonato, ou os árbitros, pelos erros que têm cometido?
Seria muito mais fácil defender o F. C. Porto. Os árbitros não têm defesa possível. Todos têm direito a uma, mas há aquelas defesas que já toda a gente sabe que vão acabar mal. Neste caso, não há ponta por onde se lhe pegue. Se fosse adepto de uma equipa que neste momento vai à frente com estes erros todos, não me ia sentir nada confortável.

E como é que o problema da arbitragem se pode resolver?
Se a questão da finalização se resolve com jogadores, a questão de arbitragem resolve-se com os árbitros. Não acho que haja maus árbitros em Portugal. Acho é que, neste momento, há uma pressão muito grande, por dados objectivos, e é preciso medidas excepcionais durante algum tempo. Para alguns jogos mais importantes, por exemplo, não via mal em trazer árbitros estrangeiros. E claro que o video-árbitro podia ajudar.

Quando compara com Benfica e Sporting, falta poder ao F. C. Porto nos grandes centros de decisão?
O F. C. Porto sempre viveu através de si e nunca precisou de colinhos para ter as suas vitórias. Continua a não precisar.



Leia mais: Diogo Feio: "Os árbitros não têm defesa possível" http://www.jn.pt/desporto/especial/interior/diogo-feio-os-arbitros-nao-tem-defesa-possivel-5605707.html#ixzz4Vm44TFmV 
Follow us: jornalnoticias on Facebook

O vídeo que faltava: como o planeta narrou o golo de Éder

O vídeo que faltava: como o planeta narrou o golo de Éder: Inglês, francês, russo, turco... são muitas as línguas em que se pode recordar o histórico golo de Éder na final do Campeonato da Europa que Portugal venceu.

Avenças socialistas ou, como quem diz, pérolas aos porcos amigos


(...) alguns exemplos que recordam o tempo em que Paz Ferreira era crítico do BdP:


Sexta-feira 13. O dia que Pinto da Costa entra para história do futebol



Esta sexta-feira 13 marca o dia em que Pinto da Costa protagoniza um marco da história do futebol mundial: há 35 anos a comandar os destinos do FC Porto, Pinto da Costa é o dirigente de um clube há mais tempo no cargo.
A data: 17 de Abril de 1982. Nesse dia, Jorge Nuno Pinto da Costa entrava para o lugar que ocupa até hoje, como presidente do Futebol Clube do Porto. E 35 anos depois além de, obviamente se ter tornado um símbolo incontornável do clube, e inevitavelmente da história do futebol português, Pinto da Costa torna-se agora uma lenda viva do futebol mundial. Com 12 864 dias contabilizados a comandar os destinos do ‘dragão’, Pinto da Costa ultrapassa Santiago Bernabéu (antigo dirigente do Real Madrid) e torna-se o dirigente há mais tempo à frente de um clube.
Ao longo de mais de três décadas à frente dos ‘azuis e brancos’ Pinto da Costa levou o clube a muitos momentos de glória, como os 58 títulos alcançados pelo equipa principal de futebol ou os 62 títulos obtidos pelo hóquei em patins.
Campeão Europeu (2 vezes), Campeão do Mundo (2 vezes), Campeão da Uefa (2 vezes), Campeão da Supertaça Europeia (1 vez)

1999, um ano de ouro

Pinto da Costa viveu, já, grandes momentos de glória à frente do clube do seu coração – quem não se lembra da conquista da Liga dos Campeões em 2004, no entanto, houve um ano no meio destes 35 que se pode dizer ter sido de ouro. Decorria o ano de 1999 quando, nas hostes do dragão, se viveu um ano verdadeiramente dourado. Não só para a equipa principal de futebol com para outras modalidades representadas oficialmente pelo Porto.
No total foram cinco. Juntamente com o futebol profissional, também foram campeões nacionais o andebol, o hóquei em patins, o basquetebol e a natação. Nesse ano o futebol – com o campeão europeu Fernando Santos no comando técnico da equipa – sagrou-se penta campeão nacional. 1999 foi apelidado por alguns com o ano do “duplo penta”, uma vez que se atingiu a glória cinco vezes em duas situações.

Cinema Trindade: 17 anos depois!


A garantia foi dada esta quarta-feira à Lusa o responsável pela exploração da sala, que se encontra encerrada há 17 anos.

“Estamos a fazer tudo por tudo para abrir a sala no dia 26 de Janeiro. Na pior das hipóteses abrimos em Fevereiro. Isso é inquestionável! Estamos todos a fazer um esforço e com um pensamento positivo. É uma questão de dias”, declarou Américo Santos, presidente da Nitrato Filmes, a distribuidora portuguesa de cinema independente que vai explorar o Trindade.

Américo dos Santos explicou que o Cinema Trindade, que vai ter duas salas em permanente funcionamento com estreias e ciclos programados, deveria ter aberto em finais de 2016, mas houve problemas com o empreiteiro da obra, que foi obrigado a suspender os trabalhos no período das festas natalícias, surgindo também problemas que “não estavam previstos no caderno de encargos”.

“Um dos problemas que veio atrasar a obra foi o sistema elétrico, que obrigou a uma reformulação do projecto e que se está a refletir nos prazos”, acrescentou.

Américo Santos disse que a obra tem “caráter de urgência” e que estão a pressionar o empreiteiro para conseguir abrir o espaço no dia 26 de Janeiro, mas realçou, por outro lado, que “requalificar um imóvel é mais complicado do que começar um espaço de raiz”.

Com a reabertura do Cinema Trindade, o centro do Porto vai voltar a ter cinema diariamente, com a reabertura das duas salas desativadas desde o final de 2000.

Em Outubro passado, o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, anunciava a formalização de dois protocolos – um no valor de 20 mil euros com o Cinema Trindade e outro de 10 mil euros com o Passos Manuel.

Na página da Câmara pode ler-se que já está disponível o Tripass, um cartão lançado pela autarquia e que vai dar acesso ao circuito de cinema na baixa do Porto com descontos e outros benefícios nas salas do Trindade, do Teatro Municipal do Porto (Rivoli e Campo Alegre) e do Passos Manuel.

Mais de 2 anos e este continua a gozar connosco


O socialista Armando Vara foi condenado, no Processo FACE OCULTA, a cinco anos de PRISÃO EFECTIVA. Mas, efectivamente, continua À SOLTA. Impunemente. Como no jogo de Monopólio, dispõem do cartão ‘Você está livre da prisão’. Não se entende também que não tenha devolvido à sociedade os activos devidos. Neste processo houve justiça formal, é verdade. Mas sem prisões, sem indemnizações e sem ressarcimento económico da sociedade – o que prevalece é a "face oculta" da justiça nacional: a impunidade.
Já lá vão mais de dois anos!

Frase desportiva do Ano


Se o Stevie Wonder, que é cego,
não tivesse o azar de ter mais de 36 anos,
era árbitro internacional em Portugal.
– Francisco Marques, ao Porto Canal

Desde que começou a cobrar bilhete, os clientes não param de aumentar


Em entrevista à Lusa no âmbito do 111.º aniversário da Livraria Lello, que é celebrado esta sexta-feira, o administrador Pedro Pinto avançou que em 2016 venderam cinco vezes mais livros do que há um ano e meio e receberam “um milhão e 50 mil visitantes”, um número que classificou de “impressio-nante” face ao espaço exíguo.

Vendemos cerca de 714 livros por dia, são cinco vezes mais do que vendíamos há ano e meio”, declarou o administrador daquela que é considerada uma das mais belas livrarias do mundo por vários órgãos da imprensa internacional - como o jornal The Guardian, que a elevou, em 2008, à terceira mais bela do mundo, ou a estação televisiva CNN, em 2014, que a considerou a mais linda do mundo.

Apesar de as vendas terem aumentando, Pedro Pinto assume que apenas 35% dos visitantes da Lello compram livros e, por isso, o objetivo para 2017 é fazer com que os restantes 65% de visitantes também invistam na compra de obras literárias.

“Só cerca de 35% das pessoas que nos visitam é que compram livros, portanto, ainda temos um grande trabalho pela frente, que é transformar os outros 65% em leitores e esse é o nosso objetivo para 2017”, assume o administrador, anunciando que vão lançar, no primeiro trimestre de 2017, um projeto de venda e entrega de livros em qualquer país do mundo, sem custo adicional.

A ideia para desenvolver o projeto de venda planetária a partir da Lello vem no seguimento de um estudo que aquela livraria portuense encomendou à multinacional Nielsen, onde se concluía, por exemplo, que há quem não compre livros “porque os livros são pesados e porque as bagagens do avião levam a não comprar livros”.

A 12 de Janeiro de 2016, na altura do 110.º aniversário, um dos administradores da Lello, José Manuel Lello, disse à Lusa que a livraria já tinha aumentando em quase 300% a venda de livros diária nos últimos seis meses de 2015, altura em que começou a cobrar as entradas naquele espaço.

Critérios ou actos persecutórios?


Um comuna NUNCA tem um passado nem um futuro democrático!

Fernando Tordo, depois de ter desejado a morte ao Professor Cavaco Silva, acobardou-se e apagou a publicação do Facebook sem ter a honestidade de pedir desculpa. Aqui fica ela para memória futura.

Coisas que me dão vómitos

Francisco Louçã, em entrevista ao Expresso (7 de Janeiro)

Eu sou do tempo...


4%: agora podem, sff, recomeçar a falar do que interessa?

Enquanto esperamos por uma selfie de Marcelo e Maria Leal, entretemo-nos com os 4%. A agência de rating DBRS já tinha avisado que esse valor dava direito a castigo, mas há mais. Em plena crise de títulos de dívida portuguesa a 10 anos, a agência canadiana também está atenta a outros agravos, como a Caixa Geral de Depósitos. 
(...) A beleza do título de dívida reside no seguinte: não há manipulação que o valha. O governo de António Costa pode bater o pé as vezes que quiser - o spread já lá vai. E há mais factos pouco abonatórios para este estado de arte. O Banco Central Europeu vai começar a tirar a teta da mama de países com dificuldades de liquidez. Em Abril reduzirá o caudal de apoio expresso na compra de títulos de dívida. Porém, existem ainda mais ventos a soprar nesse sentido de contenção e bons modos. Os indicadores respeitantes à inflação na Zona Euro sugerem a necessidade de fechar a torneira, se não totalmente, pelo menos gradualmente - aos pingos. Depois temos o outro lado do Atlântico onde a Reserva Federal, à luz de bons resultados económicos, irá também encarecer o acesso ao dólar americano, e essa condição irá atormentar ainda mais o Euro já abalroada pela valorização da sua congénere. Os tempos Centênicos e Cósticos não estão nada fáceis. A tal toalha atirada por Sócrates e Teixeira dos Santos naquela noite suada de São Bento pode tornar a ser arremessada. De repente.

Ironias

E o único Chefe de Estado Europeu presente no funeral foi ...
 um Rei !

Refugiados? Porquê Europa?

Estes refugiados árabes na Europa dão nisto:


A esquerda e a extrema esquerda portuguesa já pensaram assim...

Tem problemas?